Cutelaria

O que é uma faca tática? Como escolher a melhor para mim?

 

Com o crescimento do número de pessoas interessadas em aventuras e em equipamentos táticos hoje em dia temos uma ampla seleção de escolhas, tipos e desenhos de ferramentas diferentes, mas… O que é essa tal “faca tática” que tanto vemos por aí?

Quando ouvimos esta descrição a primeira cena que imaginamos é um soldado das forças especiais portando uma faca estilo “rambo” e pronto para entrar em combate, mas o primeiro ponto que vamos discutir desmistifica exatamente isso: Facas táticas e facas de combate são equipamentos completamente diferentes.

Entendendo a diferença
 

As lâminas táticas não são um conceito novo. Elas foram introduzidas ao serviço militar durante a Segunda Guerra Mundial para dar mais capacidades aos soldados que estavam em campo de batalha. 

Diferente do que muitos pensam, uma faca tática não é uma faca focada em combate. A faca tática é um equipamento de trabalho, desenhado para realizar muitas funções e ser usada como arma em apenas último recurso, por mais estranho que pareça. Isso quer dizer que quando pensamos em uma lâmina tática, o que isso significa é que ela é criada para aguentar as mais diversas tarefas que um aventureiro, soldado ou sobrevivencialista encontrarão durante sua jornada, como por exemplo cortar lenha, preparar armadilhas, limpar caça e até mesmo arrombar portas - em modelos mais resistentes.

Por serem ferramentas generalistas, as facas táticas possuem uma enorme variedade de modelos, estilos e tamanhos. Ainda assim, em em sua maioria são lâminas pequenas/médias (de 10 até 15cm) e bastante grossas, com um dorso de 2mm ou mais. Isso garante que a ferramenta seja facilmente manobrada nas tarefas e aguente atividades de uso pesado.

Já a faca de combate tem uma função óbvia: Ser usada em uma situação de combate. Por isso os modelos de combate geralmente possuem características mais diretas e simplistas como por exemplo uma lâmina lisa de tamanho médio/grande com afiação simples ou dupla e um cabo de material aderente, geralmente contando com uma guarda maior para oferecer proteção à mão durante uma situação de risco.

Agora a pergunta é: Por que é importante entender essa diferença? Simples. Toda faca é criada com um propósito, então saber diferenciar as características que cada faca apresenta é uma habilidade importante para que você possa adquirir um equipamento que funcione como você espera. 

Então sabendo esta diferença você já está pronto para escolher a sua faca tática! A questão é… O que você deve olhar em cada modelo para saber qual serve para você?
Escolhendo a melhor faca tática para você

Uma coisa é certa: Ter uma boa faca ao seu lado em uma situação de risco pode ser a diferença entre a vida e a morte. Uma faca resistente e com várias funções pode aumentar suas chances de se afastar do perigo sem grandes dificuldades. A quantidade de modelos é enorme, mas ao saber o que procurar você com certeza vai ter mais confiança no equipamento que escolher. Por isso, vamos começar por partes:
 

Funções
 

A pergunta aqui é simples: O que você quer fazer com esta lâmina? Somente entendendo para quê você está buscando uma lâmina tática você será capaz de escolher um modelo apropriado. Uma faca tática pode ter uma enormidade de funções, como por exemplo:

Dois tipos de fios na lâmina: Usado para trabalhos de diferentes naturezas como corte de lenha e criação de detalhes em gatilhos de armadilhas;

Serra dorsal: Usada para cortar fibras como cordas, cisal e semelhantes;

Corta arame: Um pequeno furo com uma lateral afiada é colocado na lâmina para permitir o corte de arame;

Quebra crânio: Uma peça de metal é colocada na base do cabo para permitir que você quebre vidros e materiais em geral usando a faca como uma espécie de martelo;

Riscador: Inserido geralmente no dorso da lâmina e próximo à guarda, serve para ajudar o usuário a riscar uma pederneira (utensílio para fazer fogo);

Aqui estão apenas algumas funções para exemplificação. É interessante você pensar em quais lugares vai usar sua lâmina e em que tipo de situações, assim poderá listar quais funções você precisa que ela tenha para que você consiga realizar o trabalho que precisa.
Lembre-se: Uma faca tática é um utensílio de trabalho,então não se prenda a estética, pense na funcionalidade!

 

Material da lâmina

Existem uma série de detalhes e classificações para determinar os tipos de metais usados em lâminas, mas vamos nos ater as duas categorias mais simples: 

Aço inoxidável: Presente na maioria das lâminas de entrada no mercado nacional. A vantagem do aço “inox” é que ele consegue reter o fio da faca por mais tempo e é resistente à corrosão, além de ser mais flexível. Contudo, exige mais esforço para ser afiado e as lâminas com este material tendem a ser mais finas, logo, menos resistentes;

Aço carbono: Presentes em facas táticas de padrão de qualidade superior, o aço carbono tem diversas “durezas” diferentes (medidas em uma escala chamada Rockwell) mas, de maneira generalista, suas vantagens são a facilidade de criar diferentes tipos de fio na lâmina, resistência à impactos e capacidade de retenção de fio. Seu ponto negativo é a necessidade de maior cuidado, visto que se a lâmina não possuir proteção poderá oxidar rapidamente.

Se você busca por uma lâmina de trabalho capaz de aguentar abusos constantes, o carbono é uma escolha inteligente - não é a toa que a maioria dos fabricantes de equipamentos táticos tem ele como escolha principal. Contudo, se você quer uma lâmina que não vai lhe dar trabalhos de manutenção e será usada de maneira muito esporádica o aço inoxidável pode ser uma pedida inteligente.
 

Cabo


Se há algo que pode deixar uma lâmina perfeita ou terrivelmente incomoda é o formato e material em que o cabo é construído. Lembre-se, é uma faca de trabalho! Isso significa que ela deve ser confortável e não deve causar bolhas em sua mão após uso moderado. 
Os cabos podem ser feitos em madeira, micarta, combinações plásticas e até mesmo com materiais exóticos como ossos e semelhantes. O importante para conferir aqui é se o tamanho do cabo é satisfatório para sua mão e a “pegada” parece firme e confortável. Materiais escorregadios ou que não lhe dão firmeza podem causar desastres! A última coisa que você quer é ir cortar lenha e acabar com um ferimento no meio do mato.
Uma boa faca tática terá um cabo resistente a impactos, confortável e que não ficará escorregadio quando molhado. Aqui não se trata de beleza e sim de funcionalidade.



Tamanho


A escolha aqui tende a ser bastante baseada no seu gosto pessoal, mas precisamos lembrar que cada tamanho de faca se desempenhará de forma diferente em cada atividade. Por exemplo:
Faca Grande - Acima de 22cm: São quase considerados facões ou machetes. Geralmente se destacam no corte de madeiras e para abrir trilhas em matas fechadas, porém são inadequadas para atividades mais delicadas por não serem manobráveis;

Faca média - Entre 12 e 22cm: São as conhecidas como “mil e uma utilidades”. Apesar de não se destacarem em tarefas pequenas como fazer gatilhos de armadilhas e nem no corte de lenhas grandes, conseguem fazer ambas atividades de maneira satisfatória. 

Faca pequena - Entre 5 e 12cm: Se destaca para atividades de detalhe como cozinhar, esculpir gatilhos de armadilhas, afiar lanças e semelhantes, porém dificilmente conseguirá cortar lenhas de tamanho médio e grande.

Devemos lembrar que esta é apenas uma generalização, afinal, o desenho da faca influenciará diretamente no seu resultado. Apenas para exemplificar, pense que uma faca média em modelo “kukri” poderá ser mais eficiente em cortar lenha do que uma faca grande em modelo simples por conta do formato de sua lâmina.



Dicas finais
 

Este tema é tão longo que poderíamos facilmente escrever livros sobre ele, mas aqui precisamos nos ater a dicas práticas. Pensando nisso, aqui vai um compilado de orientações que eu aprendi durante os anos e podem servir para você também:

O que serve para outro pode não servir para você. Cada um tem gostos e preferências diferentes, então antes de rejeitar um modelo é interessante avaliar ele dentro da sua realidade e não seguindo apenas opiniões alheias;
Não existe a “faca perfeita”, por mais frustrante que isso seja. Cada equipamento terá seus pontos fortes e fracos, o segredo é você ser capaz de reconhecer cada um deles e usar a ferramenta da forma certa;
O foco sempre será em dois pontos: Utilidade e conforto. Se você conseguir realizar as tarefas que precisa e a faca não lhe gerar desconfortos como bolhas ou dores, parabéns, seu equipamento é perfeito para este uso em particular;


Cutelaria é um mundo complexo! Hoje você entendeu os princípios mais práticos que podem ajudar você a escolher a sua lâmina companheira ideal, então… Boa sorte e boas aventuras!

Esteja preparado,
Julio Lobo.